Obesidade e Sobrepeso Masculina

August 10, 2016

HOMEM, QUE TAL PENSAR NUMA DIETA?

OBESIDADE MASCULINA CRESCE E É MAIS PERIGOSA QUE A FEMININA. 

 



Sabe aquelas dietas de revistas femininas ou os esforços que sua mulher faz para emagrecer? Pois bem: esqueça tudo isso se a intenção é acabar com a tal "barriguinha de cerveja”. Para o homem perder peso, os métodos, as avaliações e os esforços são diferentes dos usados no sexo feminino. E se acha que, só porque pertence ao sexo masculino, essas coisas de dieta, obesidade, emagrecimento etc. têm de passar longe de suas preocupações diárias, está "redondamente” enganado. 

Uma das formas de obesidade que mais cresce no Brasil e no mundo é a masculina, o que traz sérios riscos à saúde. Esse problema é bem mais sério do que se imagina. As tais gorduras abdominais, ou viscerais, causam muito mais danos nos homens do que nas mulheres. Pior: nem é preciso ser obeso para sofrer as consequências. Quer saber por quê? Confira algumas constatações que provam que o acúmulo de gordura faz cair por terra qualquer pretensão de se achar um super-homem.

Depois, venha experimentar nosso método e verá que combater o problema, se sentir bem, seguir uma dieta equilibrada e ter uma vida saudável não é um bicho-de-sete-cabeças. E, o melhor, vai ajudar a melhorar seu desempenho em todas as áreas: profissional, esportiva, sexual etc. 

GORDURA X GORDURA

1.  No organismo humano, existem dois tipos de gordura: a gordura subcutânea, periférica chamada gordura branca, e a gordura visceral, que compõe a gordura abdominal (e forma a barriguinha).
2.  A gordura subcutânea funciona como reserva energética, protegendo o organismo contra agressividade metabólica da gordura visceral, que é bem perigosa. 
3.  A gordura abdominal visceral é composta por células maiores, metabolicamente muito ativas, produtora de substâncias inflamatórias agressivas ao metabolismo e prejudicando a saúde. Essa gordura pode liberar os chamados ácidos graxos para a corrente sanguínea. 
4.  A gordura periférica não libera ácidos graxos para corrente sanguínea, é menos instável e protege o organismo. Ou seja, tem um comportamento mais benigno, que de certa forma protege o homem contra os males da obesidade visceral, absorvendo até as substâncias liberadas pela gordura abdominal, como o excesso de ácidos graxos livres.
5.  Apesar de ser a mais perigosa, a gordura visceral tem a vantagem de ser a primeira a reagir e a responder a um tratamento de emagrecimento. 
6.  Por isso as primeiras perdas de peso, mesmo que mínimas, melhoram muito a saúde do paciente obeso. Diminuem a resistência à insulina, a pressão a glicemia e a lipemia.

ATENÇÃO, HOMENS: GORDURA DEMAIS, SAÚDE DE MENOS

    •    O tecido gorduroso é um importante órgão endócrino que, quando está acima do normal afeta o funcionamento bioquímico do metabolismo e do organismo como um todo. As células gordurosas produzem importantes hormônios que interferem no equilíbrio metabólico.
    •    No homem o acúmulo de gordura tem uma distribuição, principalmente, na região central do corpo, muitas vezes quase que exclusiva, não ocorrendo a obesidade periférica.
    •    O problema é que essa gordura fica infiltrada nos órgãos abdominais, como o fígado (doença chamada esteatose hepática), intestino, e em outros órgãos do abdômen, comprometendo também órgãos torácicos, como o coração, produzindo alteração na condução elétrica cardíaca, o que gera arritmias. 


NEM PRECISA SER GORDO PARA TER PROBLEMA

Mesmo não sendo gordo, se o homem possui excesso concentrado de gordura na região visceral, abdominal ou torácica, é portador da chamada obesidade androide (na forma de maçã ou central).

Esse tipo de obesidade provoca uma série de alterações no metabolismo das gorduras e da glicose, propiciando o aparecimento de doenças, como a resistência insulínica e a dislipidemia diabetogênica que pode evoluir para a síndrome metabólica.

PIOR NOS HOMENS DO QUE NAS MULHERES

Sim, homem, é a pura verdade. E se está precisando de uma dieta, já passou da hora de pensar no assunto. A obesidade masculina é significativamente mais agressiva do que na mulher. Um homem com barriga grande tem muito mais probabilidade de apresentar importantes sequelas para a saúde e, com mais frequência, que a mulher.

Quer saber as consequências? 

    •    Essa gordura visceral tem a capacidade de liberar altos índices de substâncias inflamatórias e de colesterol ruim (LDL colesterol) e de triglicérides. 
    •    Por outro lado, é acompanhada pelos baixos índices de colesterol bom (HDL colesterol). Tais alterações trazem impactos ruins na dia a dia. 
    •    A pessoa passa a conviver com sérios riscos de doenças no coração, acidentes vasculares cerebrais (derrame), chegando até a morte súbita.

GORDURA CONCENTRADA, PERIGO À VISTA

Outro detalhe para você refletir: A obesidade androide, quando comparada com a da mulher, é apontada como responsável por maior índice de risco na saúde do que a simples obesidade regularmente distribuída pelo corpo. 

Na cardiologia, chama-se de "índice de risco cardiovascular” esse abdômen avolumado, que é sinônimo de importante fator de maior incidência de morbidades como: hipertensão arterial, angina, infarto do miocárdio, derrame cerebral, colesterol elevado, diabetes, óbito. 

PASMEM: NEM SEMPRE A CERVEJA É A CULPADA

Fala sério, por essa você não esperava, não é? Se pensar que diminuir a cerveja todos os seus problemas vão acabar, errou de novo. É claro que não precisa exagerar na dose, pois álcool demais traz conseqüências bem nocivas, mas a bebida não é a única vilã. 

Anote: essa "barriga de cerveja” não se relaciona com a cerveja em si. A bebida não aumenta a barriga. Os grandes vilões são seu seus acompanhamentos (aqueles petiscos deliciosos) e o sedentarismo. 

Os riscos de ter um problema sério de saúde aumentam quando a obesidade masculina se associa a outros fatores, como estresse, tabagismo, alcoolismo, sedentarismo, má alimentação, colesterol elevado, diabetes e hipertensão arterial.


ATENÇÃO: ESSA GORDURA PODE MATAR

A gordura visceral, também chamada gordura abdominal, se acumula entre as vísceras intestinais, dentro delas, perto dos vasos sanguíneos e na parede deles. É UMA GORDURA FATAL. 

Quando em excesso, dobra-se a chance de morrer cedo, segundo estudo Sociedade Americana de Câncer EUA. Sabe por quê? Simplesmente porque a gordura visceral atrapalha o funcionamento dos órgãos, que podem engordar, engordar, engordar até ficarem insuficientes para dar conta do recado e fazer seu organismo funcionar como um relógio suíço. 

Todo o corpo começa a acumular colesterol, triglicérides e toxinas diversas, o que também incentiva doenças crônicas, como diabetes e o câncer. A gordura visceral se esconde, como diz o nome, nas vísceras, nas entranhas. Mas, calma, não é uma coisa do outro mundo acabar com ela.

UFA, UMA BOA NOTÍCIA

Para cada 10% da perda de seu peso total, diminuí-se 30% da gordura visceral. O ataque eficaz contra essa gordura é simples e baseado em uma mudança dos hábitos alimentares , exercícios e suplementações para proteger e minimizar os danos causados pela gordura nos órgãos afetados. Isso proporciona pontos positivos no prognóstico e na perspectiva de vida.

COMO DETECTAR OS PROBLEMAS

    •    Fazer uma avaliação médica com exames específicos para descartar doenças que podem estar associadas ao quadro e realizar uma investigação detalhada dos parâmetros nutricionais, do ponto de vista metabólico, funcional e regulador.
Os parâmetros investigados são:

- Metabolismo geral
- Sistema gastrointestinal
- Desgaste e envelhecimento - níveis de oxidação
- Desgaste geral do organismo
- Hormônios
- Impedância – níveis de gordura, musculatura, água corporal intra e extracelular (dentro e fora da célula)
- Avaliação do grau de gordura intra-abdominal através de exames de imagem
- Avaliação cardiológica completa

Dependendo dos resultados obtidos nessa avaliação, podem ser necessários outros exames complementares. Após o diagnóstico, deve ser adotado um plano de tratamento para corrigir os fatores que levaram o organismo a esse desequilíbrio.

BARRIGA: INIMIGA DO CORAÇÃO

A equação é simples: quanto maior a barriga, maiores são os riscos de ocorrência de problemas associados  às doenças cardiovasculares.

A barriga grande, mesmo que não seja exagerada, representa séria obesidade visceral, com o aumento da gordura concentrada no fígado, pâncreas, intestinos, coração e nas artérias do coração (coronárias) e cerebrais. Portanto, preste atenção: se você não é gordo, mas acha a barriguinha até charmosa e nem liga para ela, acaba não tendo "proteção” da obesidade periférica. Resultado: apresenta mais riscos de mau prognóstico.

A obesidade abdominal divide-se em:
    •    Periférica ou subcutânea
    •    Profunda ou visceral
    •    Mista

A DIETA DO HOMEM

Para reduzir o armazenamento da gordura secreta e diminuir a obesidade masculina, a conta é simples: a dieta deve ser composta de 40% de carboidratos complexos (aqueles de baixo índice glicêmico) e fibras, 30% de gorduras e 30% de proteínas.

- Ingerir calorias em excesso é a principal causa da formação e do aumento do estoque de gordura visceral. 
- Abusar de carboidratos refinados também agrava o problema. Eles possuem alto índice glicêmico: a glicose (açúcar que é fonte de energia do corpo) que esses alimentos contêm cai na corrente sanguínea rapidamente. E se essa energia toda não for gasta, as sobras podem virar gordura visceral . 
- Exemplos desse carboidrato? Pães, massas, doces e petiscos, como batata frita, biscoitinhos, refrigerante e álcool. 
- Ao ser metabolizado, o excesso de álcool produz um pico de insulina (hormônio que atua no metabolismo do açúcar) no organismo. Quando isso acontece, o nível de glicose pode cair e ocasionar uma fome incontrolável aumentando ainda mais a ingesta de carboidrato.

DIRETO NO FÍGADO

A esteose hepática é a infiltração de gordura no fígado presente em 60% a 90% dos obesos. Pode ser diagnosticada através de uma tomografia computadorizada ou uma ressonância magnética. É chamada também doença hepática gordurosa não alcoólica. Pode prejudicar seu funcionamento metabólico, inclusive aumentando sua resistência à insulina.

A simples infiltração gordurosa do fígado pode evoluir para quadros de insuficiência hepática, hepatite, esteatoepatite, que pode evoluir para fibrose e até cirrose, inclusive com surgimento de tumores. Cada paciente pode evoluir de forma muito individual.

Diagnóstico:
O médico deve pedir prova de função hepática, imagem do fígado e até biopsia hepática.

Tratamento:
Emagrecimento
Exercícios físicos
Dieta especifica
Medicamentos apropriados.

A evolução em geral é benigna e, antes que se instalem a cirrose ou os tumores, todo processo pode ser revertido com a perda de peso e com os demais tratamentos de suporte. 

COMO E POR QUE ENGORDAMOS

As células de gordura são chamadas de adipócitos e armazenam calorias na forma de triglicérides. Antes de achar que são nossas maiores inimigas, saiba que têm o importante papel de ser nossas reservas de energia. Além disso, o tecido adiposo tem importante papel na regulação do metabolismo saudável.

As células de gordura são dividas em dois tipos. As do tipo I (imaturas para as suas funções e sem a capacidade de armazenar gordura). Estes adipócitos, por determinadas circunstâncias, sofrem um processo de maturação e se transformam nos adipócitos tipo II (que tem como função a capacidade de guardar gordura e armazenar energia).

Existem dois tipos de tecido adiposo:

    •    Marrom, relacionado principalmente com o efeito termogênico (geração de calor ou manutenção da temperatura corporal)
    •    Branco, relacionado com a reserva de triglicérides.

Quando a pessoa engorda, ocorrem dois mecanismos: os adipócitos aumentam de número e de tamanho, ficando inflados e repletos de gordura. Ambos os processos resultam no aumento do volume corporal. Quando a pessoa emagrece, os adipócitos diminuem a quantidade de gordura armazenada, murcham e reduzem a sua hipertrofia, mas não desaparecem.

Dessa forma, mantém-se a potencialidade de voltar a encher-se de gordura novamente e retornar ao estado de obesidade. 
Assim, quando uma pessoa engorda, além do peso, ganha a tendência de manter-se nesse máximo de peso alcançado. Por isso, emagrecer é uma coisa e eliminar a tendência de voltar a engordar é outra bem diferente.

Está mais do que claro que só emagrecer não basta. Seja por motivos estéticos ou por conta do excesso de gordura visceral, é preciso se cuidar, para não virar um sério candidato a sofrer problemas do coração.

SAIBA 15 INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE A OBESIDADE

1.  A obesidade vem crescendo em todas as classes sociais, e de forma muito importante nas classes sociais mais baixas, nas crianças e adolescentes.
2.  A obesidade é a segunda causa de morte nos EUA.
3.  16% das crianças obesas chegam à idade adulta obesas. Um adolescente obeso tem de 70% a 80% de chance de chegar à idade adulta obeso.
4.  Em diversos países, de 5% a 10% das crianças em idade escolar e 15% a 20% dos adolescentes são obesas. 
5.  Nos EUA esse número mais que dobrou nos últimos 20 anos.
6.  No Brasil, 3% das crianças são desnutridas, enquanto 9% são obesas.
7.  Cerca de 350 mil mortes por doenças cardiovasculares ocorridas por ano nos EUA são provocadas por obesidade.
8.  Cerca de 80% dos casos de diabetes podem ser atribuídos ao excesso de peso.
9. A obesidade vem crescendo universalmente em praticamente todos os países do mundo, tornando-se uma verdadeira pandemia, aumentando em todos os grupos raciais, em ambos os sexos, em todas as faixas etárias e níveis socioeconômicos.
10.  No Brasil, são 70 milhões de pessoas adultas acima do peso, sendo que desse total 27 milhões são obesas.
11.  Os obesos mórbidos somam 1 milhão de pessoas. 
12. Dados do Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE) revelam que 90% dos brasileiros se alimentam de maneira inadequada.
13.  Metade da população com mais de 20 anos esta acima do peso. 
14.  Entre os homens, esse quadro triplicou nos últimos 30 anos. 
15.  O grande problema é que a maior parte dessas pessoas (60%), segundo uma pesquisa realizada pela Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, faz alterações radicais no cardápio sem o acompanhamento de um especialista, o que acaba comprometendo ainda mais o metabolismo.

DIETA DESEQUILIBRADA, SAÚDE COMPROMETIDA

Confira 4 problemas que uma alimentação desequilibrada e sem orientação traz ao organismo.
    
1-    Ganho de peso pós-dieta
Devagar e sempre. Esse é o lema de quem quer perder peso de maneira saudável e duradoura.  As visitas regulares ao médico ou à nutricionista devem ser práticas de quem deseja manter o peso após perdê-lo. Quem emagrece além da conta também pode perder massa magra. Na verdade, quando isso acontece fica ainda mais difícil manter-se magro, já que o corpo gasta mais energia com os músculos do que com a gordura. A suplementação de aminoácidos na dose correta, aliada a vitaminas e minerais pode minimizar muito esse problema.

2-    Insônia
A falta de certos nutrientes pode refletir na qualidade do seu sono. Por isso uma dieta equilibrada e a suplementação de certas substâncias, como o magnésio, podem funcionar como verdadeiros relaxantes musculares e serem fundamentais para o sono. Outro procedimento é colocar no prato alimentos ricos em triptofano (aminoácido que o corpo usa para produzir serotonina), substância química que no cérebro é convertida em melatonina. Ele pode ser encontrado na banana, frango, peru, arroz, aveia e nos pães integrais. A salsinha, cebola, castanha-do-pará, linhaças, nozes e espinafre também são fontes ricas em magnésio.

3-    Pele, unhas e cabelos fracos e feios
Este é um sinal que alguns nutrientes importantes para sua saúde estão fora do seu cardápio. Pode ser o caso do zinco e do cálcio, que são necessários para manutenção das unhas e dos cabelos. As vitaminas do complexo B são fundamentais para formação de novas células, mantendo as células saudável e renovada. As fontes de proteína como a carne, frango, peixe e ovo são importantes nesse caso. Evitar alimentos processados e industrializados. Uma dieta variada, aliada a uma reposição se houver uma necessidade, pode ser uma solução.

4-    Intestino preso
Diante de uma dieta desequilibrada, a ingestão de fibras também é precária e, com isso, o intestino tem dificuldade para formar o bolo fecal. Devemos acrescentar um tipo de vegetal para cada fonte de carboidrato colocada no prato. As frutas, cereais e sementes são muito bem-vindas. Não se deve esquecer de tomar muita água durante o dia e, ao dormir, uma dose de lactobacilos se necessário.

 

Please reload

Posts Em Destaque

Arritmia Cardíaca

January 16, 2018

1/10
Please reload

Posts Recentes

January 16, 2018

November 17, 2017

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags